domingo, 13 de março de 2011

Contexto Histórico - Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial foi um confronto bélico, que envolveu todas as potencias do mundo como França, Alemanha, Estados Unidos da América, Rússia e entre outros. E que exigiu o recrutamento, não só do exercito como também da produção. Tal recrutamento deixou a economia e a política parada fazendo com que cada potência ficasse responsável pela sua própria economia e com que cada cidadão se tornasse do exercito, para assim lutar na guerra, defendendo sua nação. Uma das causas da Grande Guerra foi a desigualdade entre nações, porém o assassinato do Príncipe Francisco Ferdinando, pelos Sérvios, foi a gota d'agua.
As inovações tecnologias usadas na Primeira Guerra Mundial, como – tanques de guerra - mostravam que o mundo tinha uma capacidade inimaginável. Então esse conflito apresentou duas fases: que foi a guerra de movimento (em que estava relacionada com o Plano Schlieffen) e a guerra de trincheiras. Os alemães acreditavam que derrubariam a França em um rápido duelo e que em seguida também acabariam com a Rússia, dando assim a vitória tão desejada em poucos meses, porem a realidade não aconteceu como o imaginário dos alemães, já que eles violaram sua neutralidade, atravessando o território belga, em busca da invasão da França. E essa falha serviu como desculpa para Inglaterra declarar guerra a Alemanha. A França salvou-se do ataque da Alemanha, pois a Rússia estava o enfrentando frente a frente, fazendo com que eles precisassem de todos os soldados possíveis.

         Com o fracasso da guerra do movimento começou-se a guerra de trincheiras, com novas potências mundiais como Japão e Itália. Nesta guerra cada país defendia sua nação, com unhas e dentes, porém os alemães estavam ganhando várias guerras e aprisionando milhões de russos.
O ano de 1917 foi decisivo para os russos, já que depois de inúmeras derrotas, que aceleraram a queda da autocracia, teve como resultado oficial a saída de tal nação da guerra em 1918. Ainda no ano de 1917 a Itália foi derrotada pelos austríacos ficando assim fora da guerra. E com duas grandes potencias mundiais fora da guerra, às grandes nações começaram a se preocupar, como é o caso da Alemanha, que bloqueou a Inglaterra, dificultando assim o abastecimento da Grã-Bretanha.
A partir disso os Estados Unidos, que se mantinha “escondido”, enviando apenas alimentos e armas para os países europeus, resolveu então entrar para guerra em 1917, já que estava se sentido ameaçado pelos alemães. Com a entrada dos Estados Unidos, as grandes potências aliadas a ele se fortaleceram contra os alemães, já que os Estados Unidos vinha com uma grande demanda de armas, navios, aviões e soldados que levou inúmeras vezes a derrota da Alemanha e de outras potências centrais.


Depois de tantas derrotas, o governo da Alemanha assinou o Armistício de Compiegne finalizando assim a Primeira Guerra Mundial. Porém muito antes do fim da guerra, o presidente Wilson, planejava uma estratégia para a negociação de paz. E baseado nessa idéia o Tratado de Versalhes considerou a Alemanha culpada pela guerra, sendo assim reprimida, pois foi proibida de construir navios de guerra, perdeu suas colônias e foi obrigada a indenizar as potencias mundiais que a derrotou.

O Tratado era coordenado pelos presidentes dos Estados Unidos, França e Inglaterra que oficializou a criação da Liga das Nações que obteve alguns resultados em suas lutas sociais pela a melhoria de condição de trabalho e apoio dos países ricos, aos pobres. No mesmo ano ocorreu o Tratado de paz de Saint-Germain que desmembrou o Império austro-húngaro, que forçou a reconhecer a independência da Polônia.


Autoras: Débora Lima Tavares e Priscilla Leão de Lima
Referencia Bibliográfica:
VINCENTINO, Cláudio. História Geral - ed. atual. e e ampl. - São Paulo: Scipione, 2002.


Um comentário: